Ilustração por Felipe Mayerle
Tecnologia

10 startups para ficar de olho: quem se destacou no Early Stage Pitch-off do TechCrunch

O LABS acompanhou a rodada de pitchs organizada pelo TechCrunch para startups em estágio inicial e conversou com fundadores sobre a experiência de apresentar seus negócios para investidores em potencial

Read in english

Você é capaz de apresentar um argumento vencedor para o investidor dos seus sonhos em menos de cinco minutos? Foi isso que dez das startups mais promissoras da atualidade – inclusive uma brasileira – fizeram durante o evento Early Stage Pitch-Off do TechCrunch. Uma espécie de “se vira nos 30” de alto nível. 

O grupo das dez finalistas contou com startups pré-Série A da Áustria, Brasil e Estados Unidos selecionadas para apresentar seus melhores argumentos de venda ao vivo, para uma audiência virtual altamente especializada de investidores em potencial, jornalistas e centenas de participantes do meio startupeiro. 

Os times tiveram apenas cinco minutos para fazer sua apresentação, seguida de uma sessão de perguntas e respostas por outros cinco minutos. Entre os juízes da competição, nomes de peso do setor de capital de risco, como Ben Sun da Primary Venture Partners, Leah Solivan da Fuel Capital e Shardul Shah da Index Ventures.

LEIA TAMBÉM: Três grandes lições de especialistas para startups early-stage

Alerta de spoiler: a startup vencedora é…

Se você já assistiu a algum vídeo de unboxing (os famosos vídeos de “recebidos”) ou de resenha de produto no YouTube antes de comprar algo, você sabe como conteúdo autêntico e criado por fãs pode ser importante para influenciar a compra. As marcas também sabem e querem monitorar o que andam falando delas por aí. Mas acompanhar os influenciadores e o volume de conteúdo que eles criam era virtualmente impossível até recentemente, quando a inteligência artificial mudou o jogo.

É aqui que entra a Vyrill, a grande campeã da competição de pitchs do TechCrunch: uma plataforma de marketing de conteúdo e busca em vídeo, orientada por IA, que visa encontrar e aproveitar o melhor conteúdo disponível a favor do marketing das marcas.

A empresa já identificou, classificou e analisou mais de 250.000 perfis de criadores de conteúdo e mais de três milhões de vídeos para ajudar seus clientes a identificar os principais influenciadores, aproveitar o conteúdo gerado pelo usuário, conduzir pesquisas competitivas e mais.

LEIA TAMBÉM: Na disputa dos super apps, recorrência é rainha e há espaço para todos — por enquanto

A solução da Vyrill atualmente tem integração com o YouTube, Dropbox e Shopify. O serviço faz uso de um modelo de teste que permite que qualquer marca ou varejista se inscreva e teste a plataforma por 14 dias de graça. Depois disso, os usuários devem aderir a uma versão paga do produto. A empresa tem entre seus clientes grandes nomes como Porsche, Revlon e Sargento. 

Embora a competição entre as startups tenha sido acirrada, a aplicação da tecnologia de IA da Vyrill, a proposta de negócios única e o enorme potencial de crescimento lhe valeram as honras dos jurados. 

O que fica da experiência…

“Foi uma oportunidade incrível estar no palco do TechCrunch. As pessoas estão nos parabenizando apenas por termos participado. E outros fundadores também estão olhando para nós como, ‘Bem, se o Boomerang fez isso, é possível”, disse Nathan Romiero, cofundador do Boomerang, a representante do Brasil na disputa de pitchs. A startup criou uma solução para aluguel de itens de uso temporário (veja mais sobre os pitchs das participantes abaixo).

LEIA TAMBÉM: Com 11 mega rodadas, startups brasileiras receberam US$ 5,2 bilhões em 2021

“Como uma empresa brasileira, sabíamos que seria difícil sermos selecionados, mas precisávamos tentar porque sabíamos que isso criaria visibilidade mundial para nós, mesmo estando na América Latina. Qualquer exposição que você conseguir em um veículo de mídia conhecido como o TechCrunch é positiva, porque potenciais investidores podem dizer: ‘Bem, é uma empresa latino-americana, mas eles estavam no palco no TechCrunch, então é uma empresa séria, quero conhecê-los’”, disse Romiero.

Existem muitas startups excelentes na América Latina, mas já estamos começando cinco passos atrás de outras startups do Vale do Silício e de outros lugares, então é uma grande oportunidade poder mostrar que existimos e que estamos fazendo um bom trabalho. Esses eventos também são ótimos para networking e, como podemos dar início a uma rodada de financiamento em breve, também é uma boa visibilidade para isso.

LUCAS GOMEZ STEHLING, COFUNDADOR DA BOOMERANG

Ajay Bam, CEO da Vyrill, estava motivado a participar do pitch-off com três objetivos em mente: arrecadação de fundos, conexão com futuros clientes e atração de talentos para sua equipe. Poucos minutos depois de Vyrill ser anunciada como a vencedora, Bam começou a receber e-mails de potenciais parceiros e investidores para ajudar a fechar a lacuna de US$ 800.000 na atual rodada Seed de US$ 2 milhões que a empresa busca.

“É engraçado como as coisas acontecem. Ganhamos e, 10 minutos depois, recebi e-mails de três investidores dizendo: ‘Estamos dentro’. Essa é a mágica do TechCrunch”, disse Bam.

Ajay Bam, CEO da Vyrill, durante seu pitch para os juízes do TechCrunck. Imagem: Screenshot

LEIA TAMBÉM: Edtech Curseria, de professores-celebridades, recebe aporte de R$ 25 milhões da Igah, Ventures

Romiero, Stehling e Bam concordam que o tempo gasto afiando o discurso de venda e encarando o palco valeu a pena para construir credibilidade com futuros investidores, além de empresas menores e grandes corporações em busca de novas startups para parcerias. 

“Estamos conversando agora com alguns parceiros estratégicos – grandes empresas que podem nos ajudar a dimensionar e revender nosso produto. Para eles, o endosso do TechCrunch é algo de muito valor. Isso também nos ajudará na geração de leads e na atração de grandes talentos. É uma grande vitória em todas as frentes”, disse Bam.

No final do dia, todos estão procurando a validação de suas ideias, a validação de sua equipe e a validação do problema que estão resolvendo. Com uma apresentação de cinco minutos, conseguimos fazer com que quatro jurados conceituados dissessem que o mercado precisa do que a Vyrill oferece e que temos capacidade para resolver esse problema.

AJAY BAM, CEO DA VYRILL

A arte do pitch-off: o que as selecionadas do TechCrunch apresentaram

Aqui, contamos o que as outras startups selecionadas para o palco de pitch-off do TechCrunch apresentaram. Vale lembrar que antes da exposição, os finalistas receberam um rápido treinamento e sessões de coaching com a equipe do TechCrunch Startup Battlefield, o que parece ter funcionado, já que todos os dez fundadores entregaram bons argumentos de venda, apresentando aplicativos, ferramentas e modelos de negócio inovadores para mercados em crescimento, com potencial significativo de retorno para os investidores. 

A Mi Terro foi a primeira a se arriscar. A Mi Terro tem uma solução para utilizar alimentos e resíduos agrícolas descartados em aterros e transformá-los em materiais biodegradáveis para a confecção de roupas, embalagens e outros produtos. Com essa pegada ecológica, a startup já fechou parceria com a Anheuser Busch para transformar grãos descartados após o processo de fermentação em embalagens e biofilmes; e está testando transformar leite com prazo de validade vencido em fibras à base de leite para produzir camisetas, roupas íntimas e máscaras. 

LEIA TAMBÉM: Hernan Kazah: massa crítica conhecedora de tecnologia é combustível para crescimento da KASZEK

Dois aplicativos voltados para o consumidor final também se destacaram, o Press Sports App, uma plataforma vertical de mídia social para estudantes atletas compartilharem informações e notícias relacionadas à suas trajetórias no esporte com seus treinadores, olheiros e fãs (uma espécie de LinkedIn para atletas); e o Speeko, um app por meio do qual as pessoas podem treinar a retórica e desenvolver confiança e destreza para falar em público com práticas diárias de apenas cinco minutos. 

Na área das financias pessoais, o Snowball Wealth apresentou sua plataforma de educação financeira e redução do endividamento direcionado em particular a mulheres e a jovens no início de suas vidas financeiras que possuem grandes dívidas devido a empréstimos estudantis. A startup diz que já ajudou seus usuários a economizar mais de US$ 500 mil somente em taxas de juros. 

Com sede em Viena, na Áustria, a My Expat Taxes causou sensação com um sistema desenvolvido do zero para simplificar o processo de declaração de impostos nos Estados Unidos para quem trabalha no exterior. O aplicativo tem integração com a Receita Federal americana, reduzindo o tempo de conclusão do processo de três meses para apenas 15 minutos e com um custo três vezes menor do que a média cobrada por serviços de contabilidade. 

LEIA TAMBÉM: Mobees, startup de painéis digitais para carros de aplicativo, levanta aporte de R$ 5,5 milhões

A tecnologia também está remodelando a segurança e a eficiência de projetos de construção em larga escala. Diante disso, a Universal Prequal jogou na roda sua plataforma para qualificar empreiteiros e subempreiteiros da indústria da construção civil. O serviço permite que os prestadores de serviços pré-qualifiquem seus serviços, enquanto os clientes podem utilizar a base para pesquisar e avaliar os profissionais antes de contratá-los. 

Também olhando para as oportunidades da indústria da construção civil, a T2D2.ai utiliza inteligência artificial e visão computacional baseada em drones para fazer um monitoramento contínuo da infraestrutura, identificando problemas estruturais que implicam risco para as pessoas. A tecnologia também indica quais são os reparos necessários e mais urgentes.

Representando o Brasil na competição, a Boomerang percebeu que é muito comum que as pessoas comprem algo, usem duas ou três vezes e nunca mais. Diante disso, criou uma solução B2B2C de consumo mais consciente que possibilita o aluguel de itens de uso temporário, como ferramentas, equipamentos elétricos, equipamentos de ginástica, carrinhos de bebê, equipamentos de camping e até mesmo jogos de tabuleiro, entre outros. Por meio de parcerias com varejistas, a startup entrega o produto ao consumidor em até 24 horas. 

LEIA TAMBÉM: Com CEO brasileiro, startup que faz frango à base de plantas recebe aporte de US$ 20 milhões

A rodadas de pitchs terminou com a Stash Global e a Vyrill, a grande campeã da rodada. A Stash Global ataca a crise global de segurança cibernética. Ao contrário da maioria das soluções que se concentram quase exclusivamente na defesa contra hackers, a Stash Global usa uma abordagem de dados que protege os próprios dados da exploração, criptografando-os e arquivando-os em sistemas existentes dos clientes. 

Ao fazer isso, seus clientes podem restaurar seus dados com um clique em caso de violação, frustrando os hackers e tentativas de cobrança de resgate por dados e informações pessoais. A Stash Global recebeu recentemente um prêmio de “Solução de recuperação de ransomware sem resgate mais inovadora” na conferência RSA de 2021.

Traduzido por Carolina Pompeo

Keywords