Economia

Economia brasileira esfriou em julho e deve desacelerar no 3º tri, prevê BofA

O índice de crescimento de atividade econômica no Brasil caiu a 1,12 ponto no mês passado, ante 3,03 pontos em junho, de acordo com relatório do BofA

Pessoas caminham na rua 25 de Março, de comércio popular, em São Paulo 21/12/2020 REUTERS/Amanda Perobelli

A economia brasileira desacelerou em julho, dando sequência a movimento visto desde os picos de abril, disse o Bank of America com base em um índice proprietário que sugere moderação do crescimento da atividade no terceiro trimestre.

O índice caiu a 1,12 ponto no mês passado, ante 3,03 pontos em junho, de acordo com relatório do BofA assinado por David Beker, estrategista do banco na América Latina.

LEIA TAMBÉM: Brasil tem maior elevação de taxa de juros desde 2003 e deve elevar Selic em setembro novamente

Todos os componentes do índice caíram na leitura mensal, com a queda puxada pela redução de oferta de dinheiro. Houve ainda contribuições menores de leituras de confiança empresarial e do consumidor.

A perda de ímpeto também é vista nos números da média móvel de três meses, que caiu em julho para 3,92 pontos, de 6,18 pontos em junho.

Ainda assim, Beker segue prevendo forte recuperação da economia em 2021, com taxa de crescimento de 5,2%, ainda que um pouco abaixo da expectativa do mercado mostrada pela edição desta segunda-feira da pesquisa Focus (+5,3%).

LEIA TAMBÉM: Real brasileiro está 19% mais desvalorizado do que deveria

“Esperamos que o progresso da vacinação continue reduzindo a propagação da Covid, permitindo que as restrições de mobilidade continuem sendo suspensas”, disse Beker, citando ainda nova rodada de programas fiscais de ajuda.

“Os riscos negativos são o crescente ruído político, escassez de insumos, baixos níveis de reservatórios de água.”