Negócios

a55 abre escritório no México

A fintech já concedeu mais de R$ 400 milhões em empréstimos baseados em receita futura para mais de 500 empresas no Brasil e no México

Inauguração do escritório da a55 na CDMX: Miguel Castilla (head de marketing), André Wetter (CBO), Andre Luiz Silva (COO) e Tomás Blanco (coutnry manager no México). Foto: Divulgação.
Read in englishLeer en español

Na última quinta-feira, 26 de maio, a a55, fintech brasileira que oferece empréstimos baseados em receita futura para startups e outras empresas da chamada “nova economia”, abriu um escritório no México, consolidando sua presença no país.

A fintech anunciou sua chegada oficial ao México ainda em maio do ano passado, quando também levantou uma rodada de US$ 35 milhões liderada pela Accial Capital e com participação de investidores anteriores, como E3 Negócios e Mouro Capital (fundo sucessor do Santander InnoVentures, do Grupo Santander). Em janeiro deste ano, anunciou uma Série B de R$ 92,8 milhões liderada pela aceleradora e investidora Movile. É com esse último aporte que a expansão no México ganha novos objetivos: a a55 agora está de olho também em médias e pequenas empresas de lá.

Entre as empresas mexicanas que já usaram os serviços da a55 estão Gaia, Totaltech, Vexi, Marketec, Prestanómico, Inventec, entre outras.

LEIA TAMBÉM: Empreendedores da nova economia têm um aliado em ascensão: a55

Fundada em 2017 por Hugo Mathecowitsh (CEO), André Wetter (CBO) e Andre Luiz Silva (COO), a a55 já concedeu mais de R$ 400 milhões em empréstimos para mais de 500 empresas no Brasil e no México. Normalmente, as empresas buscam a a55 para investimentos de R$ 300 mil, mas a média das operações está em R$ 500 mil. E sua taxa de crescimento permanece alta, com volumes acumulados aumentando aproximadamente seis vezes em 2021 em relação a 2020. 

Apesar desses números impressionantes, o a55 está apenas arranhando a superfície do seu verdadeiro potencial. Cerca de 25% das SMBs no Brasil e no México agora utilizam as ferramentas necessárias para a modelagem de receita preditiva, ou seja, são quase 4,5 milhões de empresas que poderiam se beneficiar dos serviços da a55.

LEIA TAMBÉM: a55 lança nova modalidade de crédito para startups usando protocolo de finanças descentralizadas

Além de Wetter e Silva, também estiveram presentes na abertura do escritório Tomás Blanco (country manager da a55 no México) e Miguel Castilla (head de marketing & growth).

“Parte da captação de recursos recebida em nossa Série B é destinada a continuar expandindo e aprimorando nosso produto, que é baseado principalmente em dados. Nosso negócio olha para o futuro porque, a partir de uma análise detalhada, entendemos o faturamento mensal das empresas, sua carteira de clientes e seus fluxos de caixa”, disse Wetter durante a inauguração do escritório.

Em março, a a55 lançou sua primeira operação usando um protocolo de finanças descentralizadas (DeFi, no jargão em inglês). O modelo de financiamento usa a stablecoin USDC – com lastro em dólar – atrelada ao real. A nova modalidade é feita por meio do blockchain Solana e foi implementada em parceria com a fintech belga de cripto Credixque acaba de chegar ao Brasil. A empresa acredita que esse modelo de dívida DeFi-TradFi (ou seja, que une as finanças descentralizadas com o sistemas tradicionais) será, em breve, o novo normal no setor.