Negócios

BTG Pactual tem lucro de R$ 1,1 bilhão no primeiro tri e bate recorde de captação

O banco registrou expansão na maior parte de suas unidades de negócios e entrada de recursos recorde para seus fundos

BTF Pactual
Foto: Rafapress/Shutterstock
Read in english
  • As receitas totais do banco cresceram 84% com relação ao ano anterior, para R$ 2,796 bilhões;
  • O primeiro trimestre foi marcado por uma maior captação dos fundos de investimento e intensa atividade de negociação de ativos;
  • A captação líquida dos fundos atingiu o recorde de R$ 76 bilhões no primeiro trimestre.

O BTG Pactual divulgou nesta terça-feira um lucro líquido ajustado de R$ 1,197 bilhão no primeiro trimestre, um aumento de 51,7% em relação ao ano anterior, com expansão da maior parte de suas unidades de negócios e entrada de recursos recorde para seus fundos.

As receitas totais do banco cresceram 84% com relação ao ano anterior, para R$ 2,796 bilhões, ajudadas por um trimestre movimentado para transações de banco de investimento, por uma maior captação dos fundos de investimento e intensa atividade de negociação de ativos.

LEIA TAMBÉM: BTG Pactual quer impulsionar empresas tech e novos negócios com linha de crédito especial e programa de mentoria

A captação líquida dos fundos atingiu o recorde de R$ 76 bilhões no primeiro trimestre, disse o BTG.

Entre outros itens, pagamento de bônus cerca de cinco vezes maiores do que um ano atrás elevaram as despesas em 41% ante o mesmo período do ano anterior, para 1,199 bilhão de reais.

O retorno sobre o patrimônio líquido do BTG apurou uma queda de 2,3 pontos percentuais em relação ao trimestre anterior, para 16,8%.

LEIA TAMBÉM: Startups brasileiras já levantaram R$ 10.1 bilhões em 2021, segundo relatório do Sling Hub

O BTG disse que concluiu a venda de sua participação de 22,25% no banco privado suíço EFG International AG para seu acionista controlador BTG Pactual Holding por 3,8 bilhões de reais, um plano de segregação de ativos anunciado há dois anos.

As ações do BTG subiram cerca de 20% este ano, superando os maiores credores do Brasil, já que os analistas estão otimistas com a entrada do banco no varejo.