Negócios

Depois de 5 anos, Cabify anuncia saída do Brasil em junho por problemas de rentabilidade

A empresa enfrentava uma competição forte da Uber e da 99 no país, e atribuiu prejuízos à pandemia

Foto: Cabify/Website
Read in english

O aplicativo de mobilidade Cabify anunciou nesta sexta-feira (23) que deixará de operar no Brasil a partir do dia 14 de junho. 

A empresa enfrentava uma forte competição pelo mercado brasileiro com os gigantes Uber e 99, da chinesa Didi Chuxing. Fontes da Cabify disseram que a empresa tem forte compromisso com a busca de rentabilidade e que, como resultado de um constante processo de análise neste mercado, tomou a decisão de encerrar o serviço.

Segundo a Cabify, o mercado brasileiro ainda é muito afetado pela grave situação sanitária do país e pela crise sócio-econômica causada pela COVID-19, o que “dificultou a criação de valor e levou a empresa a parar sua operação no Brasil.”

LEIA TAMBÉM: Rival do TikTok, Kwai investe para viralizar na América Latina

Fundada em 2011, em Madri, a Cabify expandiu alguns meses depois para a América Latina, e atualmente está presente na Argentina, Chile, Colômbia, Equador, Espanha, México, Peru e Uruguai.  No Brasil, a Cabify começou a operar em 2016. Um ano depois, a empresa adquiriu a Easy Taxi, e incorporou seu serviço no app.

Diferentemente do Brasil, todas as cidades da América Latina e da Espanha onde a empresa opera mostram bons índices de recuperação em comparação com o nível de atividade anterior à pandemia e, em média, a demanda global de viagens da Cabify se recuperou em 75% até o final de 2020. Em alguns mercados, toda a demanda foi reativada durante os primeiros meses de 2021, disse a empresa.

A Cabify disse ainda que “continuará dedicada em promover em todos os mercados onde opera a recuperação de uma mobilidade cada vez mais eficiente e sustentável, proporcionando através da tecnologia uma opção de transporte multimodal, seguro e de qualidade”. 

A Cabify afirmou que todos os motoristas parceiros, passageiros e empresas que utilizam seus serviços no país foram devidamente informados, e disse que continuará atenta às necessidades e oportunidades futuras de mobilidade neste mercado.