Negócios

Rumo à autosuficiência? Lojas Americanas vai inaugurar duas novas usinas de geração solar

Varejista quer ampliar parcela da energia oriunda de fontes renováveis, hoje já em 30%

Placa da Lojas Americanas em unidade da rede no Rio de Janeiro
Foto: Reuters/Sergio Moraes
Read in english
  • A companhia já tem quatro usinas próprias, sendo três hidrelétricas e uma de biogás, estrutura com a qual abastece integralmente da energia para cerca de 150 unidades;
  • Desde 2016 a companhia opera no mercado livre de energia como cliente especial, comprando também eletricidade de fontes renováveis para atender cerca de 130 lojas de grande porte, centros de distribuição e escritórios.

A Lojas Americanas anunciou nesta sexta-feira que vai inaugurar duas usinas de geração solar até junho, ampliando a parcela da energia consumida pelo grupo oriunda de fontes renováveis, hoje já em 30%.

A energia produzida nas novas usinas fotovoltaicas será distribuída para cerca de 70 lojas físicas da rede em Pernambuco e Distrito Federal, afirmou a varejista.

LEIA TAMBÉM: Rappi, Loggi e B2W Digital: o que mudou nas entregas para o comércio eletrônico depois da pandemia

A companhia já tem quatro usinas próprias, sendo três hidrelétricas e uma de biogás, estrutura com a qual abastece integralmente da energia para cerca de 150 unidades. A produção ocorre em quatro usinas de Rio de Janeiro e Minas Gerais.

Além disso, desde 2016 a companhia opera no mercado livre de energia como cliente especial, comprando também eletricidade de fontes renováveis para atender cerca de 130 lojas de grande porte, centros de distribuição e escritórios.

LEIA TAMBÉM: De rede a maior ecossistema do varejo brasileiro: os próximos passos do Magazine Luiza

“A economia expressiva na despesa, aliada à eficiência energética reforça a ideia de que essa conexão é possível e rentável”, afirmou o diretor de relações com investidores e sustentabilidade da Americanas, Carlos Padilha.

No mês passado, o Mercado Livre anunciou que começará a oferecer aos seus entregadores no Brasil crédito para comprar veículos elétricos.

E a Ambev fechou acordo com a startup FNM e com a montadora nacional Agrale para aquisição de mil veículos elétricos incluindo caminhões e vans, como parte dos planos da fabricante de bebidas de ter metade da frota rodando com energia limpa até 2023.