Negócios

Magazine Luiza compra escola digital de negócios ComSchool

Nos últimos meses, o Magalu comprou as startups AiQFome, Hubsales, Stoq, Inloco e o site de notícias de tecnologia Canaltech

Magazine luiza resultados no segundo trimestre
Read in english
  • Fundada em 2008, a ComSchool oferece cerca de 200 cursos nas áreas de marketing digital, e-commerce e redes sociais;
  • A plataforma tem cursos desde gratuitos até treinamentos de R$ 7 mil;
  • Agora oferecerá também cursos de capacitação para vendedores do marketplace, ensinando-os a gerirem seus negócios e a venderem mais.

O Magazine Luiza anunciou nesta quinta-feira a compra da plataforma de cursos ComSchool, por valor não revelado, buscando ampliar e fortalecer a capacidade de negócios dos 32 mil vendedores cadastrados em seu marketplace.

Fundada em 2008, a ComSchool oferece cerca de 200 cursos nas áreas de marketing digital, e-commerce e redes sociais. A plataforma tem cursos desde gratuitos até treinamentos de R$ 7 mil. Agora oferecerá também cursos de capacitação para vendedores do marketplace, ensinando-os a gerirem seus negócios e a venderem mais.

LEIA TAMBÉM: 2020 tem número recorde de aquisições e fusões de startups brasileiras

Segundo o diretor de marketplace do Magazine Luiza, Leandro Soares, o canal servirá também para ajudar empreendedores com operações analógicas a aprenderem sobre e-commerce e negócios digitais, potencializando a base de vendedores no marketplace.

“O Brasil tem cerca de 5 milhões de vendedores com negócios estritamente físicos, e parte do nosso plano é ensinar esses empreendedores sobre comércio eletrônico e trazê-los para dentro do nosso marketplace”, disse Soares, explicando que oferecerá aos associados preços vantajosos para os cursos.

LEIA TAMBÉM: O varejo pós-Covid ruma para a integração total do “anywhere-channel”

A plataforma, com 25 funcionários, seguirá dirigida pelos quatro atuais sócios, incluindo Maurício Salvador.

Nos últimos meses, o Magazine Luiza comprou as startups AiQFome, Hubsales e Stoq, a plataforma de mídia da Inloco e o site de notícias de tecnologia Canaltech, após ter captado em novembro passado R$ 4,2 bilhões numa oferta de ações.