Negócios

Mercado Bitcoin demite funcionários e cita cenário global adverso

Segundo empresa afirmou em comunicado, demissões se devem a "mudanças do panorama financeiro global, alta de juros e inflação"

Mercado Bitcoin aporte SoftBank
Reinaldo Rabelo, CEO do Mercado Bitcoin; Gustavo Chamati, co-fundador; Roberto Dagnoni, CEO Grupo 2TM e Maurício Chamati, co-fundador. Foto: Divulgação

O grupo 2TM, controlador da Mercado Bitcoin, anunciou nesta quarta-feira a demissão de parte dos funcionários da corretora de criptomoedas, citando o cenário econômico global adverso.

“A mudança do panorama financeiro global, alta de juros e da inflação, vem tendo grande impacto nas empresas de base tecnológica”, afirmou o 2TM em comunicado, sem mencionar o número de demissões. Veículos de mídia local informaram que tratam-se de 90 cortes. Questionada sobre o tamanho do corte de pessoal citado pela imprensa, a empresa não se manifestou.

“Assim, o cenário exigiu ajustes que vão além da redução de despesas operacionais, tornando-se necessário também o desligamento de parte de nossos colaboradores, disse a empresa, afirmando que ofereceu um pacote de benefícios para apoiar os demitidos, incluindo ajuda para recolocação no mercado.

LEIA TAMBÉM: Investidores estão reduzindo valor de startups latino-americanas, diz Creditas

O anúncio acontece no momento de instabilidade no mercado de moedas digitais, com o bitcoin, a maior delas, enfrenta forte volatilidade, em linha com os mercados de ativos de risco, em meio a um cenário global de fraqueza econômica, elevada inflação e aumento de juros. Em 2022 até agora, o bitcoin acumula desvalorização de 35%.

Foi uma deterioração rápida desde que o 2TM recebeu um aporte de US$ 200 milhões do SoftBank em julho passado, que avaliou o Mercado Bitcoin em US$ 2,1 bilhões.

LEIA TAMBÉM: Argentinos recorrem às criptomoedas para escapar da inflação que se aproxima de 60%

O caso do Mercado Bitcoin é o mais recente de uma série de startups brasileiras que formaram bases milionárias de clientes nos últimos anos, processo acelerado durante a pandemia de Covid-19, montadas em volumes crescentes de investidores de capital de risco.

Nas últimas semanas, os portais imobiliários QuintoAndar e Loft e o hipermercado digital de compras coletivas Facily demitiram em conjunto cerca de 350 funcionários, também alegando a necessidade de refazerem planos de crescimento diante de um cenário econômico mais hostil.