Negócios

Vendas do Natura & Co via e-commerce crescem 225% entre abril e junho

Com estratégias digitais e reabertura parcial das lojas físicas em junho, o grupo diz que foi capaz de compensar 82% dos impactos da pandemia na América Latina

Marca da Natura com a da Avon ao fundo
Foto: Rafapress/Shutterstock
Read in english
  • R$ 400 milhões serão investidos em digitalização e TI de maneira geral só nos próximos seis meses;
  • Em maio, a subsidiária Natura investiu na plataforma de serviços de beleza a domicílio Singu.

Um dos maiores grupos de produtos de beleza do mundo, o Natura & Co está investindo pesado na digiatalização de suas operações. Os resultados do segundo trimestre, divulgados nesta quinta-feira, mostram um crescimento de 225% em relação ao mesmo período do ano passado nas vendas pelos canais de e-commerce e uma queda de apenas 12,7% na receita total do grupo em meio à pandemia do novo coronavirus.

Neste segundo trimestre, o grupo, que é formado por quatro grandes marcas (Avon, Natura, The Body Shop e Aesop), concluiu uma captação de R$ 2 bilhões que permitirá um investimento de R$ 400 milhões nos próximos seis meses em digitalização e TI, além de outros investimentos na área nos próximos quatro anos.

LEIA TAMBÉM: O que falta para o uso do cartão de débito no e-commerce se popularizar no Brasil

“Todas as marcas e negócios do grupo se tornaram verdadeiramente omnichannel durante o segundo trimestre e, dadas as circuntâncias, ajudaram a apresentar um desempenho geral robusto e competitivo (….) Nós também anunciamos duas parcerias estratégicas, uma com a Vayner Media, uma potência global em mídias sociais, que dará o suporte digital para o relançamento da Avon (neste terceiro trimestre), e outra com a Singu, uma plataforma digital brasileira líder em delivery de serviços de beleza em casa”, disse Roberto Marques, presidente executivo e CEO da Natura & Co, no comunicado divulgado junto com os resultados do segundo trimestre.

LEIA TAMBÉM: Com novo aporte de R$ 21 milhões, a fintech brasileira de energia solar Solfácil quer atender um novo tipo de cliente: empresas

O investimento na Singu, cujo valor não foi revelado, mas dá direito à Natura de adquirir 100% da empresa no futuro, é mais um passo em direção à digitalização do canal de e-commerce das marcas e também uma oportunidade de desenvolver novas soluções de vendas digitais para o exército de consultoras de beleza parceiras do grupo. Entre abril e junho, as vendas online desses trabalhadoras triplicaram, acompanhando o crescimento de 65% no número de lojas online abertas por elas.

Com essas estratégias digitais aliadas à reabertura parcial das lojas físicas em junho, a Natura & Co afirma que foi capaz de compensar 82% dos impactos da pandemia de COVID-19 na América Latina.