Sociedade

Vida financeira: maioria dos brasileiros vive no limite, aponta pesquisa da Febraban

Pesquisa da Febraban mostra que o brasileiro vive no limite do equilíbrio financeiro e com pouca margem de manobra; falta de educação financeira pesa

Maioria dos brasileiros vive no limite do equilíbrio financeiro, aponta pesquisa da Febraban
Foto: Shutterstock
Read in english

No limite do equilíbrio financeiro. É assim que a média dos brasileiros vive, segundo pesquisa conduzida pela Federação Brasileira de Bancos, a Febraban. O levantamento foi feito para o lançamento do Índice de Saúde Financeira do Brasileiro (I-SFB), desenvolvido pela instituição para monitorar e analisar o comportamento financeiro dos brasileiros. 

O I-SFB tem uma escala de zero a 100 pontos, sendo 100 pontos o mais saudável possível, e sete faixas de classificação, que vão de “Ruim” a “Ótima”. A pesquisa mostrou que a pontuação média dos brasileiros foi de 57 pontos, o que significa uma saúde financeira no limite do equilíbrio e sem margem de manobra – ou seja, qualquer imprevisto ou deslize com o orçamento pode resultar em endividamento ou perda de recursos. 

LEIA TAMBÉM: Open banking no Brasil: empoderamento do cliente, abertura do mercado de serviços bancários

Segundo a pesquisa, o padrão das respostas revelou que o brasileiro luta por uma vida financeira saudável, mas tem dificuldade para fazer uma reserva de emergência – 65,7% dos entrevistados afirmaram que pensam bastante antes de gastar dinheiro, por exemplo; no entanto, 69,4% gastam mais ou tudo o que ganham. 

Além disso, a falta de educação financeira pesa: apenas 34,1% dos brasileiros se sentem capazes de identificar um bom investimento e seis em cada dez consideram que a maneira como gerem suas vidas financeiras não permite que aproveitem a vida e sinta segurança no futuro. 

LEIA TAMBÉM: 200 milhões de contas no horizonte e um desafio gigante: como fazer toda essa massa realmente usar os bancos digitais

Conforme mostra a pesquisa, 48,3% dos brasileiros estão na metade inferior da régua de classificação, nas faixas “Baixa”, “Muito Baixa” e “Ruim”; e 41,6% estão na metade superior, nas faixas “Boa”, “Muito Boa” e “Ótima”. Bem no meio, na faixa “Ok”, ficam 10,1% dos brasileiros. 

Por faixa, temos: 

Fonte: Febraban – Índice de Saúde Financeira do Brasileiro (I-SFB)

Já no recorte por região, a pesquisa mostrou que o Sul é a região com as melhores pontuações nas faixas “Boa”, “Muito Boa” e “Ótima”. A região com maior número de brasileiros nas faixas “Baixa”, “Muito Baixa” e “Ruim” é o Nordeste

LEIA TAMBÉM: Empresário mexicano busca 2.500 investidores para startup que promete tratamento contra o câncer

Para a elaboração do índice I-SFB, a Febraban considerou que a saúde financeira possuí cinco dimensões:

  • Liberdade Financeira (poder fazer escolhas de consumo);
  • Segurança Financeira (capacidade de cumprir as obrigações financeiras);
  • Habilidade Financeira (tomar boas decisões relacionadas a dinheiro);
  • Comportamento Financeiro (disciplina quanto aos gastos e economias)
  • Proficiência Financeira (somatória de Habilidade e Comportamento).

A Febraban considerou ainda a Base Financeira, ou seja, a renda total mensal dos respondentes, incluindo todos os membros da família. A Base Financeira pode exercer maior ou menor influência nas outras dimensões.