Aplicativos de transporte e streaming ganham espaço no orçamento do brasileiro, aponta estudo

Segundo levantamento do Guiabolso, gastos com apps de transporte, streaming e delivery de comida chegam a ocupar 22% do orçamento mensal

  • Aplicativos de transporte lideram o levantamento, representando 9,3% do orçamento;
  • Valor médio gasto com serviços de streaming tem crescido.

Que os aplicativos como Uber, Netflix e iFood chegaram para revolucionar a forma como consumimos, propondo novas possibilidades para atividades rotineiras, não é nenhuma novidade. Mas um novo levantamento realizado pelo Guiabolso, aplicativo de gestão financeira, e publicado pelo Valor Investe, traz dados que mostram como a adoção desses serviços já ocupa uma boa fatia do orçamento do brasileiro.

Com interfaces pensadas para propor a melhor experiência ao usuário, é extremamente simples pedir um Uber ou 99 na hora de ir ao trabalho, ou então pedir uma pizza em apps como iFood e Rappi. E toda essa facilidade se reflete nos números levantados pelo Guiabolso: quem contrata as quatro categorias de serviços analisadas pela pesquisa – apps para pedir comida, apps de transporte e streamings de música e filme – pode estar gastando, em média, uma significativa parcela de 22% do orçamento mensal.

LEIA MAIS: Como a startup colombiana Rappi está liderando a nova era tech da América Latina

Os dados, referentes à julho de 2019, também apontam que o maior percentual de gastos dos usuários ficou com os aplicativos de transporte:  9,3% – ou R$ 156,34 em média – dos gastos totais dos 215.667 usuários analisados no mês em questão. Uber, Cabify e 99 Taxi foram os aplicativos analisados.

Na sequência, aplicativos de delivery de comida aparecem ocupando 7,2% do orçamento dos usuários da amostra, o que representa, em média, um gasto de R$ 126,31. Já os streamings de música ou filmes, como Netflix e Spotify, abrangem um percentual menor do orçamento – 1,97% – representando um valor de R$ 20,95, em média, gastos em julho com a categoria. O diferencial dos serviços de streaming está na recorrência, dado que se trata de um serviço de assinatura mensal.