Pravaler faz sua primeira aquisição: Amigo Edu

A fintech quer ser um ecossistema de soluções de acesso à educação; atendendo 1 milhão de alunos e financiando R$ 10 bilhões até 2025

Pravaler HQ. Foto: Divulgação/Pravaler
Read in english

A área de fusões e aquisições criada em 2020 pelo Pravaler, fintech focada em financiamento estudantil, começou a dar frutos nesta quarta-feira (29). A plataforma acaba de anunciar a compra do Amigo Edu, edtech que funciona como um marketplace de educação integrado a benefícios e captação digital de alunos para mais de 300 instituições privadas. A empresa tem a meta de financiar 1 milhão de alunos, com R$ 10 bilhões, até 2025. Para isso, sabe que precisará se tornar um ecossistema completo de soluções de acesso à educação e aposta não só no crescimento orgânico, mas em mais aquisições.

Ao LABS, o CFO do Pravaler, Haroldo Carvalho, disse que o caminho para a aquisição da Amigo Edu foi natural, já que as duas empresas tinham começado uma parceria no início de 2021. “Primeiro, a Amigo Edu tem um fit cultural muito grande [com o Pravaler], um espírito jovem, uma cultura de inovação, de pioneirismo, de ciclo curto de lançamento de produtos, e gente muito apaixonada por educação. [Além disso], o Amigo Edu tem uma complementariedade muito grande conosco.”

LEIA TAMBÉM: HolonIQ: as brasileiras entre as 100 edtechs mais promissoras da América Latina

Hoje, a principal operação da plataforma é a simulação de crédito estudantil, em que o aluno pode ter seu financiamento pré-aprovado antes mesmo da matrícula, podendo pagá-lo no dobro do tempo de duração da graduação ou curso escolhido. Com o Amigo Edu, a plataforma passa a ter uma gama maior de produtos e serviços: cursos, bolsas de estudo e também uma solução de vestibular digital, além de testes e simulados online.

Haroldo Carvalho, CFO do Pravaler. Foto: Reinaldo Canato/Divulgação/Pravaler

O aluno que às vezes não consegue financiamento e tem a bolsa, ou mesmo [que quer descobrir] qual a melhor solução, bolsa ou financiamento, ou um mix deles… com essa integração a gente vai poder chegar nisso

HAROLDO CARVALHO, CFO no PRAVALER.

Fundado em 2019 por José Roberto Dantas, Bruno Guedes e Yan Tironi, o Amigo Edu, ajudou a consolidar o vestibular on-line como uma opção segura e economicamente viável para as instituições privadas. Em 2020, mais de 100 vestibulares online foram realizados pela plataforma, com a participação de 500 mil estudantes.

Já o Pravaler atua no mercado há quase 20 anos e tem entre seus principais acionistas o Banco Itaú. Lucrativa, a captação via fundos de capital de risco não está no horizonte da plataforma. Para sustentar a roda dos financiamentos e crescer, a plataforma trabalha regularmente com a emissão de debêntures e FIDCs (sigla para fundos de investimento em direitos creditórios).

LEIA TAMBÉM: A hora e a vez das edtechs: como startups de educação podem ajudar a recuperação econômica pós-pandemia

A empresa concluiu a última emissão de FIDCs, de R$ 176 milhões, em agosto, para ofertar financiamento para alunos de universidades neste segundo semestre. Tradicionalmente, o Pravaler faz duas emissões por ano de acordo com o volume de alunos a ser financiado. Em 2021, o Pravaler captou quase R$ 200 milhões no primeiro semestre (R$ 180 milhões em FIDCs e R$ 20 milhões em debêntures). 

O Pravaler também tem investido na compra de carteiras de crédito de instituições de ensino superior. Ainda em 2020, estruturou um fundo com essa finalidade, de cerca de R$ 100 milhões, em parceria com o banco BV.

Até hoje, o Pravaler já financiou 180 mil alunos, em um total de R$ 4 bilhões em financiamentos. Para 2021, a meta é atingir um faturamento 20% do que em 2020, na casa dos R$ 300 milhões. A aquisição do Amigo Edu ainda espera pela aprovação dos órgãos reguladores.

O Pravaler tem hoje pouco mais de 300 colaboradores, e ao Amigo Edu 30, mas eles não devem se juntar. Após a aprovação da operação, o Amigo Edu deve passar a ser uma unidade de negócio do Pravaler, mas continuará com marcas, equipe e produtos independentes.

LEIA TAMBÉM: Educação e serviços financeiros são as áreas-alvo do Zoom na América Latina

A pandemia afetou fortemente a demanda pelos serviços do Pravaler em 2020 e no primeiro semestre deste ano, quando a plataforma observou uma queda de 25% na procura por suas soluções de financiamento. “Nós também esperávamos um aumento na inadimplência, mas o fato foi que as instituições se adaptaram muito rapidamente, cosneguiram colocar plataforma online [no ar], conseguiram lançar cursos muito rapidamente. Agora, nós já observamos volumes de pagamentos muito semelhantes aos volumes pré-pandemia. E o ingresso [de novos clientes] nesse segundo semestre já vem mostrando um aumento bem importante em relação a 2020, mas a nossa grande expectativa é 2022”, conta Carvalho, que diz que o Pravaler ainda está discutindo orçamento e não tem metas definidas para o ano que vem.

Um levantamento feito pela Educa Insights e pela Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES) em junho, com 1,2 mil pessoas entre 17 e 50 anos idade, mostrou que 43% delas têm a intenção de se matricular em um curso de gradução no ano que vem.